Iorrana Ribeiro | Estilo de vida é tudo!
Fotografia. Produção Web. Qualidade de vida.
Iorrana,Iorrana Ribeiro,fotografia,produção web,blog,qualidade de vida,ioga, yoga, yôga,pilates,stress,alimentação,filosofia,comportamento,estilo de vida, lifestyle,derose,força,poder,energia,tônus muscular,autoconhecimento,concentração,foco,vitalidade,ansiedade,estabilidade emocional,...
175
single,single-post,postid-175,single-format-standard,ajax_updown,page_not_loaded,,paspartu_enabled,qode_grid_1300,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Estilo de vida é tudo!

Estilo de Vida

Estilo de vida é tudo!

Podemos definir estilo de vida como um mix de hábitos diários, ou frequentes, aquilo que você sempre faz, da mesma maneira, seguindo algum condicionamento pessoal ou de grupo. Sempre vai determinar o nível de qualidade de vida que você tem, ou seja, a medida de bem-estar pessoal, alegria e satisfação que você consegue usufruir nos seus dias. Seu estilo de vida diz muito sobre você. É algo bastante pessoal e geralmente reflete a maneira como você se expressa no mundo. Tem o poder de determinar as pessoas com que você se relaciona e até mesmo as oportunidades profissionais que você possa vir a ter, e acredite, possui grande influência sobre onde você vai estar nas próximas horas, nos próximos dias, meses e anos.

Definitivamente, um estilo de vida mais saudável não compreende apenas uma melhor alimentação, um sono regular, fazer exercícios ou ir constantemente ao dentista.  É claro que um corpo mais preparado pode produzir mais e responder melhor aos constantes desafios, como um cérebro mais oxigenado pode sempre produzir melhores escolhas e melhores ideias. Mas, para alcançarmos satisfação, alegria e a famigerada qualidade de vida, devemos também considerar outros fatores tão importantes quanto esses. Por exemplo, nossos paradigmas pessoais e a nossa maneira de ver o mundo, normalmente gerados a partir da nossa experiência de vida, têm o poder de influenciar diretamente a maneira como vivemos. Muitos destes paradigmas encontram-se socialmente enraizados, e muitos outros nós nem mesmo percebemos, mas que muitas vezes possuem uma relação direta com as nossas escolhas. Outro fator, como a qualidade das nossas relações humanas, sejam afetivas, no trabalho, com amigos ou com a família, quase sempre irão determinar a qualidade das nossas emoções, que por sua vez possuem grande influência em nosso bem-estar. Outro ponto que também podemos considerar é observarmos o quanto estamos verdadeiramente engajados em nos aperfeiçoar pessoal, cultural e tecnicamente, a fim de alcançarmos novos níveis profissionais, e assim, podermos obter mais autonomia, conforto e realização. Existem outros inúmeros fatores, mas o que quero que você perceba é que tudo o que você faz o remete a algo, a alguém ou a algum lugar. Pois toda ação, gera uma reação, ou consequência. O que você constantemente tem feito? Observe-se.

Partindo deste princípio, gostaria de chamar sua atenção sobre o poder que você exerce sobre os seus hábitos. Ou ainda, para o poder que você possui de influenciar este grandioso conjunto que normalmente você o chama de “eu”. A auto-observação é uma grande aliada neste propósito. Quando passamos a observar nossos hábitos, simplesmente observando o nosso cotidiano, poderemos obter respostas sobre o que nos faz bem, ou não, e assim, se desejarmos, poderemos efetuar pequenas mudanças que deixarão nossa vida muito melhor.  Como você tem construído os seus dias, que normalmente irão construir as suas semanas, os seus meses, anos e a sua vida inteira? Quanto de bem-estar você deseja verdadeiramente extrair das coisas que você faz? O seu estilo de vida quase sempre tem muito a ver com tudo isso. Reflita.


Como posso mudar um hábito?

Nossa saúde, nosso bem-estar, nossa qualidade de vida e até mesmo nossa felicidade estão conectadas aos nosso estilo de vida. Desta maneira, o elemento chave para uma vida melhor passa a ser a adoção de melhores hábitos bem como a mudança de hábitos que identificamos como menos positivos.

O primeiro item para o processo de mudança é sempre o desejo de mudar. Quando você menciona: -“Eu quero mudar!”, o processo logo se inicia. Normalmente, a via mais fácil para mudar um hábito não é exatamente eliminá-lo, mas substituí-lo por um outro mais saudável e verdadeiramente mais positivo, prazeroso e gratificante. A força de vontade sempre será a guia mestra nesta empreitada. Todo o processo também pode ser impulsionado pela capacidade de imaginar-se com o hábito assimilado, procurando perceber, e até mesmo vivenciar, o quanto de bem-estar e satisfação o resultado deste processo poderá produzir em seu cotidiano ou em sua vida quando a mudança acontecer.

Stephen Covey, em seu livro, “Os 7 hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, sugere que se mantivermos um mesmo hábito por um período de 30 dias, poderemos incorporá-lo. Prefiro dizer, entretanto, que neste período você poderá sim exercer uma grande tendência para que esta mudança seja metabolizada. Pois, ao nos engajarmos na mudança de um hábito durante 30 dias, serão realmente fortes as possibilidades de experimentarmos novas sensações que efetivamente farão com que este hábito seja assimilado pelo corpo ou pela mente. Vale a pena tentar. Se a mudança não acontecer dentro deste período, continue repetindo até que você realmente experimente o valor e a sensação da mudança. Se este valor não for vivenciado, dificilmente ele será metabolizado.

Já o Professor Jóris Marengo, Presidente da Federação do Método DeRose de Santa Catarina, em um de seus temas, denominado “Atos de Poder”, enfatiza que a cada hábito superado, nós podemos agregar mais poder interno, que consequentemente deverá se traduzir em mais capacidade de realização, senso de valor e autoestima. Ele sugere também, uma escalada de mudanças de hábitos para elevar o nosso poder interno. Ou seja, se partirmos da mudança de pequenos hábitos, como por exemplo, o de deixar a toalha molhada em cima da cama, pouco a pouco nós poderemos adquirir mais autoconfiança e galgar níveis mais sutis para atuar na mudança de hábitos e paradigmas pessoais mais complexos. Ao seguir esta trilha, nós estaremos sempre nos condicionando positivamente e, cada vez mais, poderemos nos tornar seres mais produtivos e felizes. Melhores versões de nós mesmos.


Quando a vida pede mudança

Se em algum momento você se viu descontente com a sua vida, ou sem compreender para onde os acontecimentos têm caminhado, ou porque algumas coisas sempre acontecem com você. Ou ainda, frente a questões como: por que sempre sinto aquela dorzinha de cabeça despretensiosa? Ou, por qual razão ando tão estressado? Ou, por que tenho estado gripado com tanta frequência? Por que estou tão infeliz no meu trabalho, ou em meus relacionamentos? As respostas para estas e outras questões podem estar no seu estilo de vida, ou seja, na maneira como você constrói os seus dias. Quando nos damos conta deste fato, o ponto chave para as transformações é a constante auto-observação visando identificar os seus hábitos e, assim, obter suas próprias respostas de bem-estar em tudo o que você faz. Ou seja, ao identificar seus hábitos, basta observar como se sente em relação a cada um deles. A regra é bem simples: se você se sente bem, você está no caminho correto; se você não se sente bem, é sinal de que algo precisa ser ajustado. A má notícia, é que em função de vivermos em um meio que sofre frequentes transformações, dificilmente nos encontraremos plenamente felizes ou satisfeitos a ponto de não querermos modificar absolutamente nada em nossas vidas. A boa notícia, é que podemos sempre transformar a maioria das condições e situações presentes em nosso dia a dia. As mudanças podem ser superficiais ou profundas, temporárias ou duradouras. Mas o melhor de tudo isso, é que quando bem aplicadas, sempre poderão gerar mais satisfação, bem-estar e felicidade para você, e possivelmente, para outras pessoas que estejam a sua volta. Quando mudamos algo em nossas vidas, esta mudança também se reflete em nosso meio.

 

“Mude o mundo, comece por você”
(DeRose).


Priorize o seu estilo de vida

Assim como você monta um cardápio para uma alimentação mais nutritiva, você também pode escolher as atividades que conduzam sua vida a muito mais qualidade e prazer. Ah mas muitos dizem: “Eu não tenho tempo”. Bem, todos estamos fadados ao fato de que a vida é uma só e de que passa bem rápido. Se realmente desejamos viver melhor, é preciso engajamento neste propósito.  Como dizia Gandhi, “Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

 

Iorrana Ribeiro
Engenheira e Instrutora de Yôga

Foto: Internet.